domingo, 24 de fevereiro de 2013

POETIZAR





 
Poetizar é tornar-se um
pássaro livre vindo do nada,
e alegrar as flores belas com
peripécias acrobáticas;
beijá-las com ternura e
desfrutar do seu doce néctar!

É abrir janelas para o nascer
e o pôr do sol; e deslumbrar-se
com o encanto do amanhecer
reluzindo paisagens...

É ter os olhos rasos d’água,
quando o esplendor crepuscular
enunciar o anoitecer, e o sol
dizendo adeus, desmaiar-se
sobre o mar!

É ver respingos de chuva torrencial
transmutar-se festivamente
em gotas de cristal!

Poetizar é ver o belo em
tudo o que há: nos dourados
construtos humanos, no brilhar
de um grão de areia, num sorriso
a iluminar!

É partilhar os seus víveres
com desafortunados vagantes;
é contentar-se e sofrer
com a graça do viver...

E vislumbrando-se
na serenidade de um céu
de áureos pensar:
Alçar vôos altaneiros...,
ludibriando as procelas,
em transcendente odisséia
para um viver sempre belo!


Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da Internet


2 comentários:

  1. Amado Antenor, toda tua linguística é absolutamente transcendental e inteligente! O poetar, advém de uma Ordem Maior, Espiritual, tornando bússola dos tempos, onde se eternizam obras imortais, como as tuas! É sangue que pulsa, é vida que não adormece! É coração de criança, em brinquedo de POETAS! Meus efusivos parabéns. Beijo com meu amor, da
    sua eterna Luiza

    ResponderExcluir
  2. Sou eternamente grato a você pelo seu amor e estímulo, adorável Luiza. Poetizar é mesmo de vital importância para o desenvolvimento da capacidade linguística e nisso você é mestra, minha querida. Beijo do seu eterno Antenor.

    ResponderExcluir