quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

A Flor





Brotam sorrisos!
Os olhares se orvalham...
O motivo?
Nasce uma flor!

Como pêndulo multicor,
brinca inocente com o ar...
Energizando os viventes
em radiante esplendor!

Quando amanhã suas pétalas
acordarem florescentes
dançando em sincronia
com brandos raios de sol...

Em vislumbre nesse encanto,
minha lágrima enternecida
emanando em poesia
novamente sorrirá!


Autoria:  Antenor Rosalino


4 comentários:

  1. Nossa! Vejo que está tudo muito lindo por aqui! Não somente por sua poesia, que eu acho maravilhosa, mas pelo visual também, que está ótimo.
    Linda a sua "Flor"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sua amável presença aqui é um incentivo de inimaginável valor para mim, Rita de Cássia. Sempre sempre grato a você.

      Excluir
  2. Meu Amado Antenor: Tua flor é multicolor e se despetala no encanto dessa poesia que vibra de beleza! Pois, que a flor do campo é desnuda e eterna! E no cristalino perfume dela, todo lume já rescende. E somos como as flores, se não regadas, morreremos de sede! Deixe-me ser a mais bela flor de teu jardim! Que na febre em botão, enterre-me entre as margaridas amarelas. Meus parabéns, querido! Meu beijo de amor, da tua eterna Lu

    ResponderExcluir
  3. É muito sábia a analogia que você faz sobre o ser humano e as flores, adorável Lu. A necessidade de ser regados é de importância vital. Agradeço-lhe de coração por seu comentário tão generoso e incentivador e você não precisa de permissão para enfeitar o meu jardim como a flor mais bela. Beijo do seu eterno Antenor.

    ResponderExcluir