domingo, 24 de fevereiro de 2013

A VERDADEIRA VIRTUDE






 
  Sabemos e é notório, que o ser humano é dotado de defeitos e virtudes. É bem verdade que, de um modo geral, as virtudes superam os defeitos. Não fosse assim, seria um caos a convivência entre os humanos. O sentimento fraterno e solidário se enfraqueceria, dando lugar a crescentes desentendimentos.
  As experiências do cotidiano, no que diz respeito ao relacionamento com os nossos semelhantes comprovam que, primordialmente, todo e qualquer desajuste de harmonia é proveniente da falta de uma análise mais ampla da situação. Comumente, aos sermos contrariados, simplesmente tratamos de agilizar o revide e isso fatalmente resulta em conseqüências quase sempre desastrosas.
  É natural que fiquemos raivosos em determinadas ocasiões, e é óbvio também, que em certos momentos, só mesmo uma pessoa possuidora de extrema sapiência e apurada educação consegue absorver os fatos serenamente, evitando o agravamento da situação.
  Entretanto, dentro das nossas limitações, podemos com certa dose de compreensão, pelo menos pensar um pouco mais, antes de proferirmos palavras ásperas ou tomarmos atitudes de revanchismo. A atitude pausada pode até não levar à sensatez desejada, mas abrandará e até mesmo poderá pôr fim ao entrave.
  Se analisarmos sob todos os ângulos, com o coração inerme, quaisquer casos de desentendimentos, veremos que não há um vencedor. Todos perdem. Isso porque, quem pensa estar com a razão, foi no mínimo infeliz, por não ter tido a sorte de evitar a situação, ou por estar no local em hora inadequada.
  No momento atual de tão acelerado desenvolvimento, a humanidade não marcha no mesmo diapasão no sentido da fraternidade e da solidariedade, e isso urge que sejamos mais complacentes, que devemos procurar conviver com as pessoas harmoniosamente, olhando apenas para os seus predicados, distante de preconceitos e do desejo de impor sentenças morais, mesmo porque, tais axiomas serão em vão tendo em vista que as pessoas só mudam e se valorizam por vontade própria.
  Lembremos que a verdadeira virtude está em convivermos com as diferenças, sem perdermos a compostura. É fácil agirmos e demonstrarmos fineza de trato e comiseração quando somos bem tratados, quando as pessoas agem de acordo com a vaidade de nossos interesses pessoais. Difícil é fazermos com que a coerência daquilo que sempre falamos no sentido do bem e da compreensão seja colocada em prática quando somos aviltados pela ignorância e a insensatez de alguém. Para que o convívio seja sempre fraterno e solidário, tomemos como exemplo as belas rosas, que crescem e brilham veludíneas e perfumadas mesmo entre seus abrolhos.


  Autoria:  Antenor Rosalino 

  Imagem da Internet

                              

2 comentários:

  1. Amado Antenor: Que A Maior Virtude Humana É A Humildade! Tão necessária Em Todos Cantos. Ela às Vezes Vem Acompanhada Duma Dose de Vaidade... É preciso que Sejamos Simples, Naturais E Ainda Serenos. A Virtude Ainda vem Ser Arte Dos Que A Estudam e A Praticam!!! O Exemplo Das Belas Rosas Que Delineia Tão Sobriamente é Amparo Aos Olhos De Deus! Levanto-me E Aplaudo Você Amado Escritor Antenor! Beijo Amoroso e Licoroso, da sua Eterna Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssima e adorável Lu, a tua humildade é exemplo dos mais valiosos a ser seguido, e neste comentário fulgura toda a nobreza de tua alma. Meus sinceros agradecimentos pela sempre amável presença e um faustoso beijo do teu eterno Antenor.

      Excluir