domingo, 3 de março de 2013

A UTILIDADE DAS MÃOS

  

                                         
     É inenarrável a utilidade das nossas mãos, tão necessárias para os nossos propósitos de doar e receber amor, para o trabalho de cada dia e para os atos mais sublimes de solidariedade humana.
  As mãos estendidas retratam uma imagem de indizível encanto e ternura, simbolizando apoio, consolo e amparo.
  São incontáveis os poderes das mãos, com as quais, abraçamos os nossos semelhantes, acenamos nas despedidas com os nossos corações esmaecendo-se em saudades...
  As mãos súplices em prece suavemente abençoam e são abençoadas pelo Criador. Existem pessoas que, admiravelmente, transmitem energia com o simples toque de suas mãos, num ato de caridade e amor perfeito em momentos de sofrimentos e desesperanças.
  Para as pessoas despojadas de sentimentos altruísticos, as mãos, lamentavelmente, são ameaças: ferem, manuseiam armas mortíferas e disseminam maldição, agindo contrariamente às leis naturais para as quais foram criadas. Entretanto, ao ponto de vista normal, e para regozijo de todos os povos do mundo, as mãos podem muito mais do que isso: além de trazer amparo e exteriorizar o amor, constroem a paz social, edificando sempre, em manuseios abençoados de pesquisas científicas, fabricação de vacinas para a imunização das mais variadas doenças, medicando enfermos, contribuindo decisivamente para a construção de casas, edifícios, templos apolíneos, escolas, hospitais, etc..
   Com as mãos, pilotamos aviões, dirigimos carros, varremos ruas, tocamos instrumentos musicais, pintamos telas, esculpimos, e, sobretudo, além de tudo, escrevemos, delineamos em versos ou em prosa os sentimentos que os nossos corações evocam no afã de deixarmos para as gerações vindouras, a certeza de que nada é mais importante do que fazermos no presente, algo que fique imortalizado na incerteza da posteridade.


  Autoria:  Antenor Rosalino

                                   

4 comentários:

  1. Quantas utilidades tem as mãos! Elas estão sempre unidas, em comunhão seja para fazer o bem ou o contrário. Procuro sempre utilizar as minhas para serem transmissoras de carinho, amor, paz e ternura. Um carinho bem especial com minhas mãos de amiga em sua face, Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, as suas cálidas e brancas mãos são mensageiras do seu dulcíssimo coração, caríssima Lucia. Muito obrigado pelo gentil comentário e reto pensar. O carinho é recíproco, queria amiga.

      Excluir
  2. Adorável Antenor, que as mãos podem tecer palavras e afagos. Podem fazer milagre à maca cirúrgica! Podem se render ao abraço amigo, ou amoroso. E, socialmente, falando, tudo elas podem construir ou destruir! Mãos que necessitam de um aperto, mãos que falam de respeito! Podem ser cruzadas, num ato de fé imensa! E as tuas, mãos, meu querido, serão imortais, visto que seus trabalhos todos tão edificantes, e promissores. Meus parabéns! Mais um belo texto a ser estudado por mestres! Beijo-te as mãos, meu amado, num singelo ato de AMOR! Sua, sempre Luiza

    ResponderExcluir
  3. A tua narrativa me encanta, Luiza, e parece que tudo o que a mão realiza em nuanças pelas vinhas do bem, se realiza da mesma forma em sua refinada percepção ao útil e ao belo. A reverência é toda minha, amada, e inclino-me para beijar-te com profunda gratidão. Teu eterno Antenor.

    ResponderExcluir