terça-feira, 5 de março de 2013

VIVER DE FANTASIAS



         
                                        

As palavras transbordam do meu ser
E escrevo, sentindo metamorfoses
Na poesia silenciosa
Dos breves momentos.

Entre sorrisos faceiros, iluminados,
Acalmo o meu coração,
Enquanto os meus versos líricos
Enfeitam a solidão!

Nas tardes ensolaradas,
Meu poetar circunspeto
Floresce na harmonia
Do canto dos passarinhos!

Sob a face azul do infinito,
Brotam estrelas cristalinas,
As quais migram o meu pensar
Desarmado e sem destino.

Perdido em cândidos sonhos,
Sou respingos de poesia!...
Já não procuro ocultar
Meu viver de fantasias!


Autoria:  Antenor Rosalino



2 comentários:

  1. Respostas
    1. Grato e honrado com a sua presença, Claudio Poeta. Um grande abraço!

      Excluir