quarta-feira, 6 de março de 2013

FLORES ORVALHADAS


 
           
                                                  
Gotas de orvalho deslizam-se
Em veludíneas flores belas
E quedam-se, suavemente,
No esplendor de verdes relvas!
           
No fascínio desse instante
De enlevo sublimar,
Os meus olhos se enternecem
E se põem a marejar!

Em cada gota escorrida,
Uma ternura é sentida...
Em cada coração nostálgico,
Uma lágrima é caída!

As camarinhas reluzem
Sob o sol crepuscular
Que pouco a pouco as ressecam
Deixando laivos no ar!...


Autoria:  Antenor Rosalino


2 comentários:

  1. Olá Adorável Antenor, Que Tuas Flores, serão sempre orvalhadas, de múltiplas cores, sob versos que traduzem a riqueza delas, de forma lírica! Mostras profundo conhecimento dessa joia rara, envolvendo-as num manto cândido de juventude e trazendo-nos a poesia Parnasiana, em toda síntese !!! Meus efusivos parabéns! Meu beijo da mais profunda admiração, e amor! Te adoro muito!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, adorável Luiza, agradeço-lhe muito por tão gentil, entusiástico e incentivador comentário; recebê-los é sempre uma motivação das mais importantes para minhas pretensões poéticas. O profundo carinho é recíproco e receba também o meu beijo com a mesma amorosidade e admiração.

    ResponderExcluir