sábado, 13 de abril de 2013

Soneto do Amor Ausente





Olhando açucenas no campo
Trazendo saudosos aspectos,
Nesse instante de acalanto
A sua ausência me invade!

Os lírios falam comigo
Emergindo sua imagem,
Retirando o ostracismo...
Segregando sua mensagem.

Reluzindo sua candura
Nesse engaste de ternura
Vejo o mundo se avivar!

Mesmo ausente do seu beijo
Não padeço, pois a vejo...
E me sinto exorbitar!



Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da Internet



10 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá, Luna, sempre grato. Beijo, querida amiga.

      Excluir
  2. Adorei teu Soneto do Amor ausente amigo, teus poemas são lindos vou vir sempre e ja estou te seguindo heim
    bjs

    ahhh e amo lirios rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz com suas palavras, Rosane. Beijo, amiga e obrigado por tudo.

      Excluir
  3. É uma poesia de muito sentimentos aflorados intensos versos de amor e desejo, meus aplausos meu amigo, linda sua poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma poesia de muito sentimentos aflorados intensos versos de amor e desejo, meus aplausos meu amigo, linda sua poesia.
      MARIA MENDES

      Excluir
    2. É um grande prazer a sua presença aqui, Maria Mendes. Muito obrigado pelo valioso incentivo e tão sensórias palavras. Tennha uma boa semana, amiga.

      Excluir
  4. Muito lindo teu Blog Antenor!

    Os poemas são belos e cândidos.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Aqui, registro, também, meus efusivos parabéns, por construção tão magnífica desse Blog. Parece até que ele fala com a gente, através dessa ilustre figura, que tanto amo, Antenor! E os "lírios", sob absoluta "candura", veem deixar-te o beijo mais que selado, no Amor Consagrado! Beijo com meu amor, eterno Antenor!!!! Luiza

    ResponderExcluir
  6. Em teu registro que tanto me fala ao coração repousa os meus agradecimentos mais profundos, adorável Luiza. E nesta elação de ternura beijo-te com amor e saudades desejando-lhe um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir