segunda-feira, 29 de abril de 2013

AMO VOCÊ



                           


Uma estranha felicidade domina
O mais profundo do meu âmago,
Quando eu digo em silêncio,
- mesmo distante -,
Em lacunas de hiatos tristes,
As palavras mais sublimes
Que eu digo por dizer,
Com um quê de saudosismo:
Meu amor, amo você!

Fonte eterna de acalanto
Que tenho o prazer de dizer
Em voz alta ou em sussurros,
No alvor e nos crepúsculos,
Nas noites em que meus olhos
Avivam-se como caxinguelê.

As palavras soam livres
Quando eu digo por dizer
E direi milhões de vezes
Na paz deste bem querer:
Simplesmente, amo você!



Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da Internet 

4 comentários:

  1. Sensacional...Adorei começar minha semana vindo visitar meu amado poeta. Parabéns e beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  2. Eu gostaria muito de poder proporcionar-lhe sempre alegrias como esta, Helena de Paula. Obrigado, querida amiga, beijo e saiba que o teu incentivo também é muito importante para mim.

    ResponderExcluir
  3. Meu Amado Antenor, esse poema é tão antigo, que de tão lindo - Se faz tão atual - (SIC...) - simplesmente eu também amo você! Desculpe-me a brevidade do comentário não é um segundo da eternidade desse amor!, Parabéns, por mais este estro poético! Beijos da sua eterna Luiza

    ResponderExcluir
  4. A diva da poesia é um graça e sempre "exageradinha" nos elogios. Eu lhe agradeço muito, amada Luiza. Que o amor continue sempre permeando nossas vidas como um presente de Deus. Beijo do seu eterno Antenor

    ResponderExcluir