sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Versos Segredados



                                                                

                                                   
                                           Na primavera dos meus sonhos,
                                           eu a encontrei sorridente num jardim,
                                           confundindo os seus encantos
                                           com róseas pétalas e jasmins!

                                           Os raios dourados do sol
                                           banhavam o caracol de suas mechas,
                                           reluzindo fosforescentes...,
                                           Refletindo em seu olhar,
                                           as indizíveis matizes
                                           de um grande amor em primícia!

                                           Entre o bálsamo das flores,
                                           ofertei-lhe com carinho:
                                           trovas, estrofes de amor
                                           e versos alexandrinos!

                                           Nada, porém, foi bastante
                                           para conquistar seu coração.
                                           E assim, procurei olvidar
                                           a timidez da recusa
                                           de seus lábios boreais!

                                           Não sei se guardara na alma
                                           aqueles versos fagueiros que
                                           ao pôr-do-sol dediquei-lhe.
                                           Sei porém, que ela os relia,
                                           abraçava-os e sorria
                                           quando um dia a reencontrei.


                                 Autoria: Antenor Rosalino

                                 Imagem do Google

3 comentários:

  1. Amado Antenor: Lirismo Grandioso nesses Versos De Amor Perdido... Hoje, meus sonhos se encontram nos teus sonhos e, juntos, caminhamos e palmilhamos a estrada boreal dum amor carmesim! Dou-te Minha Juvenil Primavera, para que deites Teus Novos Versos de Amor Premente, a conquistar Meu Colo Amante! Fagueiros são Meus Lábios em busca dos Teus Lábios Distantes de Mim... Dou-te Minha Alma Sorrateira, para que Vivas a Vida Inteira, no Balanço Da Tão Dita Felicidade... Beijo com amor da sua eterna Luiza De Marillac Bessa Luna Michel

    ResponderExcluir
  2. Amado Antenor: Lirismo Grandioso nesses Versos De Amor Perdido... Hoje, meus sonhos se encontram nos teus sonhos e, juntos, caminhamos e palmilhamos a estrada boreal dum amor carmesim! Dou-te Minha Juvenil Primavera, para que deites Teus Novos Versos de Amor Premente, a conquistar Meu Colo Amante! Fagueiros são Meus Lábios em busca dos Teus Lábios Distantes de Mim... Dou-te Minha Alma Sorrateira, para que Vivas a Vida Inteira, no Balanço Da Tão Dita Felicidade... Beijo com amor da sua eterna Luiza De Marillac Bessa Luna Michel

    ResponderExcluir
  3. Na estrada boreal somos amantes da poesia que nos permeia e nos leva a ver a vida com olhos cheios de amor, adorável Luiza. O seu comentário contém lirismo encantador! Muito obrigado, querida. Beijo do seu eterno Antenor.

    ResponderExcluir