terça-feira, 18 de dezembro de 2012

SUBLIMAÇÃO




A brisa mansa vagueia
Nas tardes do meu rincão,
Trazendo o aroma que enleia
Meu estro de inspiração!

Vejo as pétalas na roseira
Flamejando-se ao ar!
E o sol poente permeia...,
Convidando-me a sonhar!

Na vida dial, neurastênica,
Sou assim: um sonhador!
Sonho paisagens edênicas
Com ninfas e mimos em flor!

Quando me ponho a sonhar
Em aquiescente langor,
Deixo o coração aflorar
Dourados construtos de amor!

A natureza impoluta
Descortinando o seu rito,
Enleva meu ser dissoluto
Às lendas, paixões e mitos.

Só não atino na vida,
Com alaridos, guerras e ágmas
Que transformam chuvas de mísseis
Em púrpuras torrentes de lágrimas!


Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da Internet


3 comentários:

  1. Que a brisa que toca meus cabelos, sob as pétalas da roseira, façam-te sonhar com as ninfas dos Céus! Impoluta sim a Natureza, que sobeja minha paixão sob arados de velas branca, estendidos em tuas janelas de tanto me olhar - a passar - Teu poema é brilhante Amado, fiquei constrangida até de me estender no comentário! Aplausos de pé para Essa Beleza! Beijo encantada, da sua eterna Lu, com todo amor!

    ResponderExcluir
  2. Que a brisa que toca meus cabelos, sob as pétalas da roseira, façam-te sonhar com as ninfas dos Céus! Impoluta sim a Natureza, que sobeja minha paixão sob arados de velas branca, estendidos em tuas janelas de tanto me olhar - a passar - Teu poema é brilhante Amado, fiquei constrangida até de me estender no comentário! Aplausos de pé para Essa Beleza! Beijo encantada, da sua eterna Lu, com todo amor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha doce e querida Luiza,sentir em mim a mesma brisa que passa tocando as mechas macias dos teus lindos cabelos é a certeza de sonhos profícuos com ninfas e maravilhas celestiais. Muito obrigado, querida, por tão envolvente comentário que toca fundo a minha alma e receba o costumeiro e faustoso beijo do teu eterno Antenor.

      Excluir