sábado, 8 de dezembro de 2012

Estação Saudade

                                       


                                                                                          


                                       A primavera florida,
                                       As orquídeas, os crisântemos,
                                       Os lírios, as azaléias,
                                       Os verdes campos..., o mar!

                                       O cantarolar da passarada...
                                       A noite enluarada...
                                       Seus olhos a cintilar!

                                       A primaveril estação
                                       Encantou meu coração.
                                       Paralisou a eclipse
                                       Em repleta liberdade...
                                       Enfeitou-se em arco-íris
                                       E eternizou-se em saudade!

                                       Não há máculas, só encanto,
                                       Nem poalhas a ofuscar.
                                       Canto mais alto o meu canto
                                       E me sinto além do mar!

                                       Nossos momentos felizes
                                       Em total entrega de afetos,
                                       São relíquias, as mais belas,
                                       Entre formosas quimeras.

                                       São agora no meu mundo
                                       Envolto nessas lembranças,
                                       As valquírias dos meus sonhos
                                       E do meu viver tristonho!

                                       Vou vivendo a poesia
                                       De nemoroso eldorado...
                                       Do alvorecer sem maldade
                                       Da eterna estação saudade!


                                            Autoria: Antenor Rosalino

                                            Imagem da Internet

2 comentários:

  1. Amado Antenor: Que a Saudade Baile Sempre no Salão De Tão Belos Versos! Se não há Máculas, Eternizado Está! Dos momentos felizes, que serão Tapetes De Orquídeas a Colorir Nossos Jardins! Venha Viver Essa Sublime Poesia bem aqui Ao Meu Lado... Beijo amoroso da sua eterna Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A poesia já nos permeia lado a lado, adorável Luiza. E por caminhos floridos vamos seguindo as vinhas do bem na realidade, mas perscrutando a estação saudade. Obrigado pelo contundente comentário e um grande beijo do seu eterno Antenor

      Excluir