segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

APRISIONADOS

                                         

                                                           
               


  Desde os primórdios da infância, somos levados a obedecer aos pais e superiores nos diversos segmentos e classes sociais.
  É evidente que, no contexto social - assim como os animais nos exemplam em suas organizações de sobrevivência -, devemos seguir determinadas leis, regras, sistemas e regulamentos, sem as quais seria impossível o fluxo normal de toda e qualquer organização.
  Entretanto, no meu modo de pensar, não deveria haver tanta rigorosidade em certas fases de nossa existência.
  Quando os afazeres e obrigações que nos são determinados ou os esforços mentais e físicos que nós mesmos nos impomos para a conquista de um objetivo forem definitiva e satisfatoriamente realizados, não há razão para ficarmos continuada e indefinidamente reféns de uma expectativa já conquistada, ou, o que é pior, deixar de preservamos a saúde e nos agarrarmos a uma luta ferrenha e desenfreada com o olhar voltado única e exclusivamente aos bens materiais, na busca da expansão patrimonial, quando o maior patrimônio e a maior dádiva de nossas vidas é o bem estar físico e mental.
  Causa ainda maior tristeza e estarrecimento constatarmos os casos degradantes daqueles que, já tendo conquistado patrimônios admiráveis, não se importam em arriscar e própria vida e prejudicar pessoas puras e inocentes, muitas vezes utilizando-as como se as mesmas fossem marionetes em suas mãos, manipulando-as em jogos sujos para a conquista de sempre mais...
Exemplos não faltam, principalmente em se tratando de homens públicos, muitos dos quais, se afiguram com irretocável integridade para a população, mas, no reduto secreto de suas intimidades com os iguais, caracterizam-se pela total falta de escrúpulos e de valores morais, aprisionados na ânsia incontida de perpetuar no poder a qualquer preço, promovendo corrupção e emperrando o desenvolvimento da nação. Não possuem a dignidade de desejar a felicidade, o progresso e o crescimento das pessoas. Contrariamente aos grandes nomes da humanidade, não possuem a sensibilidade de observar que, quanto mais baixo for o nível da população, mais sujeitos estarão a viver num mundo hediondo, distante do sentimento fraterno e solidário, tão  importante para a disseminação da paz.
  Tão necessário quanto à disciplina, é a meditação e até mesmo não fazer nada em certos momentos e fases da vida; despreocupar-se de tudo e de todos e, com olhar controverso na alquimia do relaxamento, deixar que o ser se encontre em unicidade com a paz da natureza para que esta lhe fale ao coração.



Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da internet



2 comentários:

  1. Meu Amadíssimo Antenor: A Maior Prisão de Toda Humanidade é a Prisão do Próprio Ser! E, se Prisioneiro for do Ser, terá as portas definitivamente trancadas para os olhos do Mundo! "Em Brasília, por exemplo, há uma Prisão Ao Ar Livre...."
    Dois homens olharam através das grades da prisão; um viu a lama, o outro as estrelas. E para encerrar, e para que eu não me torne cansativa ao teu belo texto, findo aqui com esse pensamento do Grande Escritor Britânico, Oscar Wilde:!
    "Não há nenhuma prisão em nenhum mundo na qual o Amor não possa forçar a entrada."Oscar Wilde. Receba meu beijo DO MAIS PURO E SUBLIME AMOR, que lhe tenho! E, também, humildemente, aplausos ao Meu Ilustre Amado Antenor! Da sua eternamente, Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muita sapiência em seu comentário que muito me honra, querida Luiza. Tudo está mesmo na forma pela qual olhamos as coisas. Penso que, o detento que contemplou as estrelas deve ter deixado a prisão juvenescido, ao contrário do outro. E o pensamento de Oscar Wilde é inquestionável e dos mais belos. Obrigado sempre com o costumeiro beijo do seu eterno Antenor.

      Excluir