sábado, 19 de setembro de 2015

É TEMPO DE ESPERANÇA


                                       



Os meus olhos são janelas abertas
A clarear cantos escuros,
Buscando colorir o mundo em frestas
De aquarelas vivazes pelos caminhos mais puros!

Visualizo flores e passarinhos
Cruzando os pontos cardeais
Quando, na calmaria das ruas sem desalinho,
Sinto no âmago dissipar da vida os seus ais.

É tempo de esperança e de repensar...
E nesse tempo eu me encontro
Com o ardor benfazejo de condensar
Um porvir de amor, dstante dos desencontros.

Mesmo voejando por mundos errantes,
Aninha-se o ardor da fé no porvir,
Como flor que renasce na mente pensante,
Norteando-nos sempre para o devir.

Esculpido em magia pela fé eterna
No Criador, e polinizando antevisões,
Visualizo a vida sempiterna
De inventos fantásticos e régias missões.



   Autoria:  Antenor Rosalino


   Imagem da internet







4 comentários:

  1. "A Esperança não murcha, ela não cansa,
    Também como ela não sucumbe a Crença,
    Vão-se sonhos nas asas da Descrença,
    Voltam sonhos nas asas da Esperança."
    Augusto dos Anjos

    Amado Antenor, realmente a esperança há de perdurar além das fronteiras visíveis. "Em teus lindos olhos", me abrem as janelas à eterna esperança de sermos sempre quem somos e de termos sempre essa Tácita União! Meus aplausos todos! Tau lira poética é gigantesca e ainda haverá de galgar mundos imensos que sentem sede da sabedoria! Bravo Querido! Meu beijo caloroso de amor - Da tua eterna Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorável Lu, os teus comentários são gotas orvalhadas de incentivo que me impulsionam a continuar com minha ousadia no campo poético. Muito obrigado, querida. inclusive, pela poética de Augusto dos Anjos. Com este poema fiquei em terceiro lugar no Concurso de Poesias Palavras de Luz, de Campo Grande/MS em 2015. Foi uma grande honra. Estive presente na solenidade. Grande beijo do teu eterno Antenor.

      Excluir