sábado, 11 de maio de 2013

PÉS DESNUDOS





Caminhando apressados
Ou vagarosos, descompromissados,
Os pés descalços caminham
A simplicidade da ventania.

Vagueiam em miríades
De horizontes de estrelas!
Meteóricos caminhos...
Infantes sonhos risonhos!

Como o descompasso da vida,
Os pés desnudados
Sentem o chão em seu tato
De espirais da realidade.

Em cinzenta distância,
As pegadas flutuam
Depurando-se em solstícios
Para vôos infinitos.



Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da Internet



2 comentários:

  1. Belo poema Antenos, excellente contextualizaão, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Alegra-me a sua apreciação, Mônica. Obrigado!

    ResponderExcluir