quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O BEIJO


                                                               


O reinado labial
Em frenesi de êxtase
Transcende e se faz luz
Em misteriosas e belas
Experiências de vida
Pelo amor que o conduz.

A carência do beijo
Lateja nas células!
Os lábios carmesins
Se entreabrem à espera
Da partilha que enternece
O que a paixão apetece.

A ansiedade domina
Os corpos ardentes
Na volúpia do instante
Que eterniza as lembranças
Na amplidão dos luares
E nos perfume dos cântaros.

Suprema ternura
Que se apossa inefável
Das profundezas do âmago
E nos olhares risonhos
Onde as bocas uníssonas
Consolidam os sonhos.


Autoria: Antenor Rosalino

Imagem da internet




3 comentários:

  1. Amado Antenor, que teu beijo, sob linhas do mais puro encanto, cobrem os lábios com paixão! Poema de beleza inenarrável, deixo-te aqui meu poema que também fala de beijo: Espero que gostes TUA BOCA
    Lábios grossos
    Beijados assim
    Em querubim
    São beijos
    Apaixonados
    Em flores
    Que não reparto
    Tudo em ti
    Me alucina
    E me fascinas
    Sob tuas
    Linhas
    Tua que sou
    Sob mantos
    Sagrados
    Magnetizados
    Em amálgamas
    Meus dedos
    Passeiam
    Nesta
    Imagem
    Consagrada
    Em ti...

    Luiza De Marillac Michel

    Meus aplausos todos para Ti, Meu Amado, receba meu beijo de puro amor e a mais profunda admiração, que nutro por ti, recebas também o meu amor... Da sua eterna Luiza

    ResponderExcluir
  2. O teu comentário traduz todo o teu amor ao ser poético que insiste em viver no meu âmago mais profundo, adorada Luiza. As tuas células são feitas de lirismo e muito me honra esta nossa amizade que se faz plena no altar mor da poesia do amor. Muitíssimo obrigado, e um beijo imenso do teu eterno Antenor

    ResponderExcluir
  3. Espetacular seu poema que mostra a intensidade dos sentimentos por meio do ardente ato de beijar.
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir