quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O BEIJO


                                                               


O reinado labial
Em frenesi de êxtase
Transcende e se faz luz
Em misteriosas e belas
Experiências de vida
Pelo amor que o conduz.

A carência do beijo
Lateja nas células!
Os lábios carmesins
Se entreabrem à espera
Da partilha que enternece
O que a paixão apetece.

A ansiedade domina
Os corpos ardentes
Na volúpia do instante
Que eterniza as lembranças
Na amplidão dos luares
E nos perfume dos cântaros.

Suprema ternura
Que se apossa inefável
Das profundezas do âmago
E nos olhares risonhos
Onde as bocas uníssonas
Consolidam os sonhos.


Autoria: Antenor Rosalino

Imagem da internet




4 comentários:

  1. Espetacular seu poema que mostra a intensidade dos sentimentos por meio do ardente ato de beijar.
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Envaidecido, só tenho a lhe agradecer, caríssima Lucia. Um terno abraço, amiga.

      Excluir
  2. Adorável Luiza, é sempre motivo de alegria receber os seus valiosos comentários que tanto me envaidecem. Muito obrigado, fausto beijo e um grande abraço do seu eterno poeta Antenor

    ResponderExcluir