quarta-feira, 10 de julho de 2013

SAUDADE







A palavra saudade remete-nos
À amargura da ausência.
Não há outro vocábulo
Que inspire tanta comoção.

Traduz em lôbrega tristeza,
Toda a escalada das desilusões
Gravadas no âmago ferido
E nas lápides dos entes queridos.

Sentimento que entorpece
A alma pela dor...
Pretéritas passagens
Coroadas de sonhos de amor!...

Ah! Quem me dera o fetiche
De ocultar os abissos
E secar com condões de alegria,
As lágrimas níveas, sentidas,
Derramadas no silêncio
Das frases suprimidas.



Autoria:  Antenor Rosalino

Imagem da internet




2 comentários:

  1. Antenor, que a Saudade é viajante permanente de nossos corações! Como um tormento, que colado fica em mentes! Lamentos lentos, em fim de verão, que queima as palavras de amor! Parabéns, beijo co meu amor, da sua aterna Luiza

    ResponderExcluir
  2. Indubitavelmente sim, Luiza, é impossível não se dar guarida à saudade que insiste em habitar nosso coração, principalmente as vísceras dos poetas e poetisas. Beijo amorável a você também e muito obrigado, querida. Seu eterno Antenor.

    ResponderExcluir