segunda-feira, 10 de julho de 2017

Homenagens entre amigos (II)


           Viver a poesia da vida,
           Como nos ensina o garimpeiro de palavras diamantes
           Antenor Rosalino
          Que eu tenho a honra de ter como amigo
          É achar todo acontecimento
          Por mais corriqueiro, doloroso ou assustador
          Que seja u
ma grande maravilha
          É ser moldável, flexível
          Ter muita plasticidade.....
          É se acostumar a dar
         Comandos positivos ao cérebro
          Até que o cérebro
          Passe por si só
          A só pensar no positivo
          No automático positivo....
         Para isso é que Deus fez o cérebro
         Ter plasticidade
          Dizem os neurocientistas.....
          Para viver a poesia da vida de que nos fala Rosalino
          É preciso ter o coração e a mente de menino
          Que se encanta com um “OH!”
          A cada fato, a cada beleza, a cada flor,
          A cada chocolate.....
          A cada pião
          Que fica rodando um tempão
          Um tempão mágico
          Porque o menino/a imprimiu a força certeira!
          Então é isso, moçada linda
          É acordar já imprimindo a força certeira!
          Só assim pra gente curtir
          Permanentemente
          A poesia da vida
          Que o bom da vida
          É ser livre para curtir
          A poesia da vida
          De que nos fala Rosalino
          Jogar feito um cavalo selvagem
          E livre pelos prados
          Todas as rédeas, todas as amarras
          Todas as ferraduras
          Jogar para o alto e para o dia de São Nunca
           Não deixar ninguém sentar no nosso estribo
           Mesmo por que cavalo selvagem
           Não tem estribo........

                        Luciana Vettorazzo Cappelli


Retribuição à homenagem à mim dedicada
Pela amiga e poetisa Lucia Vettorazzo Cappelli.

Em meus sonhos mais queridos,
Trago a alegria intrínseca
De contar com o privilégio
De amizades imorredouras
Como a que trago no coração
Por tão gentil amiga,
A escritora e poetisa
Luciana Vettorazzo Cappelli.

Muito me honra ser cognominado
De “garimpeiro de palavras diamantes”
Por tão insigne mestra
 Em várias áreas de conhecimento,
Além de possuidora de sensória
Criatividade do mais puro lirismo.

Encantado, sinto-me ainda mais livre
Vivenciando a poesia da vida
Num enlevo enternecedor,
Impulsionado pelo estro poético
Da querida amiga e poetisa.

O teu belo versejar, amiga,
É absorvido pelo perfume da natureza,
Flutua sonhos
E insurge em formas coloridas
Pintando fantasias!
E assim, por toda sua obra,
Pelos seus predicados
E expressão lírica,
Receba os meus agradecimentos
E que todos os seus dias
Sejam sempre marcados pelos arrecifes
Do mar da mais plena poesia.

                  Antenor Rosalino




6 comentários:

  1. Bonita homenagem, essa troca de figurinha entre poetas é mais doce maneira de homenagear quem admiramos. Vc merece esse carinho amigo. A poetisa escreve lindamente.
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela aquiescência, amiga. É mesmo das mais gratificantes essas demonstrações tácitas de amizade e consideração elevada e, sem dúvida, é das mais admiráveis a literalidade e poesia de Luciana Vettorazzo. Fico feliz e agradeço pelo seu gentil comentário. Grande e fraterno abraço.

      Excluir
  2. Adorei, de verdade. Principalmente quando ela diz que cavalo selvagem não tem estribo. Uma bela homenagem e você a merece!

    Gostei também da retribuição. Muito bacana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre me comove a generosidade de sua visita, Ana Bailune. A Luciana possui é igual a você: possui aflorada sensibilidade. Muito obrigado, amiga.

      Excluir
  3. Linda homenagem, tanto a dela para você quanto a sua para ela. Ambos poemas são carregados de verdades, de sentimentos e de uma admiração mútua. Você merece todo esse carinho, pois é de fato um “garimpeiro de palavras diamantes”, as quais juntas, unidas formam poesias que reluz na vida de quem o lê. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu comentário me deixa feliz, Lucia, e a sua reafirmação ao cognome a mim ofertado muito me envaidece e faz com que aumente a minha responsabilidade no sentido de aprimorar sempre mais os meus escritos. Beijo terno e muito obrigado, querida amiga.

      Excluir