domingo, 16 de outubro de 2016

MADRUGADA




                                   


                         A cidade adormece em  profusão de sonhos
                        Enquanto eu, entre penumbras, não consigo
                        Conciliar o sono que insiste em se ausentar
                        Da minha matéria transfigurada em nada.

                       Tudo se faz belo na madrugada que me fascina!
                        Fulgura no céu entre estrelas rútilas
                        A esperança que guardo no peito
                        De ver raiar um sol renovado, sem laivos taciturnos.

                        Um vento brando permeia o circunstancial...
                        E sinto a brisa mansa, embevecido por
                        Estranha felicidade, enquanto o pensamento voeja
                        Em férteis jardins orvalhados pela aurora!

                        Ó cidade adormecida que em sonhos flutua
                        Pintando fantasias na amplidão dos luares,
                        Transcendendo ilusões no compasso da vida em flor,
                        Em mistérios de histórias num presente de amor.




         Autoria:  Antenor Rosalino

        Imagem da internet



5 comentários:

  1. Bom dia, Ana Bailune. Aqui fico lisonjeado com sua apreciação que muito me honra. Obrigado sempre, amiga.

    ResponderExcluir
  2. Amado Antenor, em tua madrugada, bailam versos da mais profunda beleza, enquanto o sono não chega, Meu Poeta Maior fica a destilar cândidas passagens ao meu caminhar! E assim, chegou o Teu Presente Amor, embalado em cetins brancos, com laços Dourados... Parabéns por tão eloquente e premente poema de primeira linha! Receba meu beijo amoroso, com a mais profunda estima e admiração, que lhe tenho, junto ao Amor! Da sua eterna Lu"

    ResponderExcluir
  3. Amado Antenor, em tua madrugada, bailam versos da mais profunda beleza, enquanto o sono não chega, Meu Poeta Maior fica a destilar cândidas passagens ao meu caminhar! E assim, chegou o Teu Presente Amor, embalado em cetins brancos, com laços Dourados... Parabéns por tão eloquente e premente poema de primeira linha! Receba meu beijo amoroso, com a mais profunda estima e admiração, que lhe tenho, junto ao Amor! Da sua eterna Lu"

    ResponderExcluir
  4. Adorável Luiza, os meus versos apesar de simples, ganham contornos de magia após a leitura do teu comentário tão envolvente e belo quanto o manto verde dos teus olhos que faíscam em mim. Obrigado pela honrosa apreciação e o carinho e receba, igualmente, o beijo amoroso do teu eterno Antenor

    ResponderExcluir