segunda-feira, 27 de março de 2017

O MAGNETO DOS CONTOS DE FADAS

                                                                      

  Num momento introspectivo, tive o pensamento voltado para os escritores de literatura infantil, em seu afã de transmitir entretenimento e, sobretudo, fazer o leitor pensar, que é o fundamento básico de todos os escritores nas diversas áreas literárias.
 Veio-me à mente, a verdade clara e tácita de que não são poucos os amantes da literatura infantil e, tais leitores, mesmo em se tratando de adultos, têm verdadeiro fascínio pelo magnetismo dos antigos e famosos contos de fadas.
  O que causa maior curiosidade é o fato de que, verdadeiramente, esses contos contêm muita beleza e significado, e não se limitam apenas a agradar crianças. É um convite também aos jovens e adultos para aventuras num universo de muito encantamento, por trás do qual, desfilam as personagens simbólicas e mitológicas. Certamente, esse é o motivo primordial desse campo literário ter sobrevivido ao tempo e chegado aos nossos dias atuais, trazendo curiosas reminiscências das tradições dos povos primitivos. 
 Se analisarmos esse campo literário do ponto de vista de que nos leva a profundas reflexões sobre a fértil imaginação impregnada dos autores e a tantas pesquisas feitas nesse sentido, não podemos ter dúvidas de que a literatura infantojuvenil é uma arte como qualquer outra, pois é compromissada com os anseios das crianças e, além disso, aborda temas que são úteis em muitos momentos de nossa vida.
  Não são raros os escritores, poetas e poetisas que dão enfoque especial à literatura infantil, muitos dos quais, têm livros publicados mesmo não sendo esta a sua área específica de atuação no campo literário. Em Araçatuba temos alguns exemplos de escritores e poetas que se enveredam também nesta área e suas narrativas são das mais belas, interessantes e também diversivas, trazendo, por conseguinte, efetiva contribuição aos espaços escolares e fora da escolarização formal.
  Por trás das lendas podemos aquilatar o quanto a inventividade, nesse contexto, é profunda e nos faz voejar num mundo de sonhos, aumentando o nosso leque de conhecimentos e fazendo-nos entreter como se estivéssemos manuseando um caleidoscópio na amplidão do universo. É o que podemos observar nas histórias de mitologia grega, e assim se constitui também a literatura infantojuvenil. Sobretudo propicia para as crianças tão cheias de fantasias, o desenvolvimento e o estímulo à curiosidade, cabendo aos pais e educadores, o importante papel de orientá-las sobre essas leituras prazerosas e de tão profundo significado para o desenvolvimento da linguagem, além de ampliar a visão para novas realidades.



Autoria: Antenor Rosalino

Imagem da internet



3 comentários:

  1. Adoro os contos de fadas, e já até me atrevi a escrever alguns.
    belo texto, Antenor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os teus lindíssimos escritos, com certeza, ganham ainda maior encanto com o acréscimo desta variação literária tão agradável de se ler e que remete o leitor a fecundos horizontes de sonhos, Ana Bailune. Que bom saber que tenha gostado. Muito obrigado, querida amiga.

      Excluir
  2. Boa tarde amigo Antenor,
    Lá no meu blog tem um mimo para seu blog. Espero que goste, achei melhor que vc pegue lá do que deixar o link aqui, [e só copiar , salvar e postar no gadgest.
    Abraço terno !

    ResponderExcluir